sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Ipiaú Notícias em breve no ar.

Caros leitores,

Em breve o Ipiaú Notícias estará no ar.

Um site informativo sem vínculo político com quem quer que seja.

Aguardem!!!

domingo, 29 de junho de 2014

Manchetes do dia - 29/06/2014









A Tarde: Goleiro herói

Correio da Bahia: Ave César!

Folha de São Paulo: Júlio César e trave salvam o Brasil de vexame em casa

Estadão: Defesa de doleiro pede anulação de provas da Operação Lava Jato

O Globo: Neymar preocupa Felipão: ‘Vai ser complicado botá-lo no próximo jogo’

Correio Braziliense: Com o coração na mão




Clique Aqui e veja os destaques de capa dos principais jornais, revistas, rádios e tevês do Brasil.

sábado, 28 de junho de 2014

Parabéns Ilhéus - 480 anos









O Apenas Política parabeniza o município baiano que comemora hoje, 28/06, aniversário de sua emancipação política:


- Ilhéus


Que seus governantes possam fazer verdadeiramente aquilo para que foram eleitos, trabalhar para o povo.

Campos ainda é incógnita como 3ª via

Com o slogan “Coragem para mudar”, o PSB lança hoje a candidatura a presidente do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e a vice da ex-ministra Marina Silva na tentativa de se viabilizar como candidatura competitiva e chegar a uma das vagas em disputa num eventual segundo turno.

O plano é acertar o discurso que possa consolidá-los como terceira via em uma eleição que aparenta caminhar, pela sexta vez consecutiva, para a polarização entre PT e PSDB. “A partir de agora, o nosso desafio é mostrar que é possível mudar mais, considerando que as mudanças no governo da presidente Dilma Rousseff foram insuficientes”, afirma o coordenador da campanha, Carlos Siqueira.

O tom será oposicionista: “Nós vamos dizer o que não foi feito e o que pode ser feito”. Uma das formas de explicitar o que não foi feito no atual governo, segundo o PSB, é dizer que o Brasil ainda é um dos países mais desiguais do mundo, apesar de Dilma dizer com frequência que as gestões dela e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tiraram 40 milhões de pessoas da pobreza.

A proposta da dupla Campos-Marina para mudar essa situação é fazer uma reforma tributária que mude o pacto federativo e possibilite que os próprios Estados façam os investimentos necessários para as melhorias sociais. Conciliar o discurso pelo desenvolvimento sustentável à preocupação social tem sido uma das tentativas da dupla para se posicionar como terceira via sem cair em contradição.

Isso porque ambos atuaram diretamente nos governos Lula. Marina, uma das fundadoras do PT, foi ministra do Meio Ambiente de Lula de 2003 a 2008. Campos deixou o Ministério de Ciência e Tecnologia em 2005 para retornar ao mandato de deputado e defender o governo no Congresso em meio à crise do mensalão.

Depois, foi eleito governador de Pernambuco em 2006 e reeleito em 2010, sempre com apoio de Lula. Fora isso, o PSB integrou o governo Dilma até setembro de 2013, quando entregou dois ministérios e postos de segundo escalão.

(Isadora Peron, Daiene Cardoso e João Domingos)

Leia mais no Estadão

No PAC, obras do trem-bala ‘estão em dia’

O governo federal anunciou ontem que 95,5% das obras previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foram concluídas até o fim de abril deste ano, consumindo R$ 871,4 bilhões em investimentos desde o início do governo Dilma Rousseff, em 2011.

Apesar dos números de sucesso divulgados ontem por cinco ministros do governo, o País passou os últimos quatro anos com uma média de crescimento inferior a 2% e uma inflação sempre rondando 6%.
De acordo com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, a “grave crise internacional” não pode ser desprezada. “O que estaria acontecendo com o Brasil e nossa economia se esses investimentos não tivessem sido feitos?”

Ela disse que as obras que estavam previstas para a Copa e que não foram entregues estão em andamento. “São obras para a população brasileira”, afirmou.

O Banco Central, por outro lado, estimou anteontem, no Relatório Trimestral de Inflação, que os investimentos na economia brasileira terão um recuo de 2,4% neste ano, ante uma previsão anterior, de março, de expansão de 1%. O relatório do PAC apresentado pelo governo ontem aponta as obras do Trem de Alta Velocidade (TAV) em São Paulo como “em dia”, apesar de o leilão ter sido cancelado três vezes desde 2010.

O trem-bala que ligaria Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro era inicialmente previsto para estar pronto neste ano, a tempo da Copa do Mundo. Entre os avanços esperados pelo governo, destacados na cerimônia do programa de obras públicas, estão as concessões ao setor privado.

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, afirmou que investimentos de R$ 9,1 bilhões são esperados nos aeroportos de Galeão (RJ) e Confins (MG), que serão totalmente transferidos para mãos de consórcios de empresas privadas em agosto.

(João Villaverde, Eduardo Rodrigues, Nivaldo Souza e Anne Warth, Agência Estado)

Manchetes do dia - 28/06/2014









A Tarde: Fé no Brasil

Correio da Bahia: Chuta, Brasil

Tribuna da Bahia: O maior desafio para o Brasil nesta Copa


Estadão: Defesa de doleiro pede anulação de provas da Operação Lava Jato

O Globo: Déficit do governo bate recorde e vai a R$ 10,5 bi

Correio Braziliense: O mundo em dia de Copa América




Clique Aqui e veja os destaques de capa dos principais jornais, revistas, rádios e tevês do Brasil.


quarta-feira, 25 de junho de 2014

Agenda política de hoje - 25/06/14

Dilma e a educação – presidente Dilma Rousseff sanciona Plano Nacional de Educação, em cerimônia no Palácio do Planalto.

Campos em Brasília – Eduardo Campos, pré-candidato do PSB a presidente da República, participa de reuniões de seu partido em Brasília, onde permanece até a convenção nacional, no domingo (29.jun.2014).

Convenção do PSD – partido deve formalizar apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff em convenção nacional na Câmara dos Deputados, em Brasília. Dilma deve comparecer às 11h.

Convenção do PP – convenção nacional do partido decide quem apoiará nas eleições presidenciais. O comando nacional da legenda quer integrar a coligação de Dilma Rousseff, mas alguns diretórios estaduais são contra. No Senado, em Brasília.

Prisão de Genoino e Dirceu – Supremo deve analisar recursos apresentados pela defesa de mensaleiros presos, como pedido de prisão domiciliar para José Genoino e autorização de trabalho externo para José Dirceu. A relatoria dos processos agora cabe ao ministro Luís Roberto Barroso, e não mais a Joaquim Barbosa.

Bancadas dos Estados – também está na pauta do Supremo a modulação no tempo e a extensão dos efeitos de decisão que derrubou resolução do Tribunal Superior Eleitoral que redistribuía as cadeiras de deputados federais entre os Estados.

Petrobras – CPI mista sobre a Petrobras colhe depoimento de José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da estatal. A CPI exclusiva do Senado sobre a Petrobras ouve Magda Chambriard, diretora da Agência Nacional de Petróleo.

Arruda no tribunal – TJ-DF deve jugar ação de improbidade administrativa contra o ex-governador José Roberto Arruda, hoje líder em intenções de voto na disputa pelo governo do Distrito Federal. Se for condenado, Arruda deve ficar inelegível por 8 anos.

Processo contra André Vargas – Conselho de Ética da Câmara realiza audiência com testemunhas convidadas a depor no processo contra o deputado André Vargas (sem partido-SP) por quebra de decoro parlamentar. Na lista estão Rui Falcão, presidente do PT, deputado Vicentinho (PT-SP), líder do partido na Câmara, e o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), mas eles não são obrigados a comparecer.

Emendas parlamentares – prazo para o governo federal apresentar projeto de execução das emendas parlamentares ao Orçamento deste ano.


Construção civil – FGV divulga resultado do INCC e a Sondagem da Construção.

Emprego – Dieese divulga pesquisa sobre emprego e desemprego.

Fonte: Blog do Fernando Rodrigues

terça-feira, 24 de junho de 2014

Dilma insistiu para que eu fosse candidato, diz Sarney


O senador José Sarney (PMDB) disse nesta terça-feira, 24, que tanto a presidente Dilma Rousseff quanto o PT insistiram para que ele se candidatasse. Em entrevista ao programa Luiz Melo Entrevista, da rádio Diário FM de Macapá, Sarney disse "não ter dúvidas" de que contaria com o apoio da presidente caso decidisse continuar na vida pública. "A presidente Dilma insistiu muito comigo para que continuasse, para que eu fosse candidato, foi muito enfática nesse sentido. Ela procurou o presidente do PT para falar nesse sentido", disse Sarney.

Senador pelo Amapá, Sarney disse que a decisão de se aposentar e não concorrer à reeleição, anunciada formalmente ontem a aliados, deveu-se exclusivamente à sua idade e à condição de saúde dele e da esposa. "Não teve outra, nenhuma interferência se não essa. Ficar cumprindo pela metade minhas obrigações não é do meu feitio", disse, ao lembrar problemas de saúde que o levaram a se ausentar no Senado no ano passado e lembrando também que sua mulher passou por três cirurgias.

Sarney ressaltou que não decidiu pela aposentadoria por falta de capital político ou por medo de perder as eleições em outubro. "Tenho pesquisas na minha mão que me dão uma situação muito confortável, uma delas com 50,6% de preferência do eleitorado, portanto não tenho nenhuma dúvida de que não tem problema nenhum de eleição. O problema é que realmente com 84 anos, com a minha idade, a minha mulher doente, precisando do meu apoio principalmente agora, neste momento que nós estamos já bastante idosos, eu não posso deixar de ter presente esse fato."

O senador citou o seu "prestígio" em âmbito nacional e mencionou seu papel na Presidência, que ocupou de 1985 a 1990, quando "ajudou o país" no momento da transição democrática. "Tenho o meu prestígio e não deixo de ter até eu morrer", disse Sarney durante a entrevista.

Ele afirmou ainda que, mesmo afastado da vida pública, pretende se colocar "a serviço" do Amapá, Estado que disse estar em seu coração e no qual conquistou "carinho" e "respeito" dos eleitores. "Todo prestígio que tenho e parcela de liderança nacional vai ser colocada a serviço do Amapá como sempre foi", afirmou. Sarney citou ainda avanços do Estado, ao longo de seu mandato como senador, em especial em obras de infraestrutura.

(Ana Fernandes | Agência Estado)

Lei da Ficha Limpa pode impedir candidatura de mais de 6 mil

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Antonio Dias Toffoli, recebeu nesta terça-feira, 24, uma lista com 6,6 mil nomes de gestores públicos que tiveram contas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A relação foi entregue pelo presidente do TCU, ministro Augusto Nardes, destacando que as irregularidades apontadas podem levar à inelegibilidade.

A lista não é declaração de inelegibilidade mas, segundo Nardes, tem sido usada como principal recurso para os tribunais eleitorais negarem o registro de candidatos, com base na Lei da Ficha Limpa.

"Além do fato de ficar oito anos fora das eleições, eles têm [de pagar] as multas que nós temos aplicado. Há casos de gestores que têm que assumir a responsabilidade com seu patrimônio pessoal, além de funcionários públicos que são demitidos, como há centenas de casos recentes", disse o ministro.

As pessoas que constam da lista podem sofrer impugnação de eventuais candidaturas por iniciativa do juiz eleitoral, ou solicitadas por partidos políticos, Ministério Público Eleitoral, coligações ou candidatos.
Entre os citados na relação do tribunal estão funcionários públicos que ocupam cargos de menor responsabilidade, até ministros e governadores. Eles poderão ter os nomes excluídos da lista caso consigam decisão judicial ou liminar nesse sentido. A impugnação das candidaturas depende, em última instância, da Justiça Eleitoral.

A unidade federativa com mais nomes listados é o Distrito Federal, que tem 729 gestores apontados como responsáveis por contas irregulares. Em seguida está o Maranhão, com 513 nomes e São Paulo, com 485. Roraima é o estado com menos gestores apontados na lista, com 97 nomes.

Os relacionados na lista do TCU cometeram as chamadas irregularidades insanáveis nos últimos oito anos, e tiveram negados todos os recursos possíveis no âmbito do Tribunal de Contas da União. O pagamento do débito ou da multa imposta como punição pelo TCU não implica retirada do nome do gestor da lista.
É dever dos tribunais de contas encaminharem as listas até o dia 5 de julho do ano eleitoral à Justiça Eleitoral. Os tribunais nos estados também estão fazendo isso e têm recebido orientação do TCU para disponibilizarem os nomes dos gestores citados na internet. Liberada para o público, a relação será constantemente atualizada até fim do ano. Dessa forma, pessoas citadas que conseguirem liminares na Justiça podem ter os nomes retirados e outras, cujos recursos forem se esgotando, poderão ser acrescidas.

Para ter acesso à lista completa, clique AQUI

(Mariana Jungmann l Agência Brasil)

Sarney anuncia a aliados - e divulga nota - que não vai disputar eleição


Aos 84 anos de idade, 60 deles dedicados à política, o senador José Sarney (PMDB-AP) comunicou a aliados que não vai se candidatar à reeleição ao Senado.
Sarney justificou a aposentadoria dizendo que pretende ficar mais tempo ao lado de sua mulher, Marli, que está doente e vive em São Luís, capital do Maranhão.
No entanto, pesou na decisão o cenário político desfavorável. Pesquisas locais mostram alta rejeição a Sarney no Amapá.
Nesta segunda-feira, 23, ele foi vaiado durante evento ao lado da presidente Dilma Rousseff, em Macapá. “Conversei hoje com a presidente Dilma e disse a ela que a situação está muito complicada. Acredito que não vou concorrer ao Senado”, disse Sarney ao presidente do PMDB do Amapá, o ex-senador Gilvan Borges.
Ex-ministro do Turismo e aliado próximo da família Sarney no Maranhão, o deputado federal Gastão Vieira (MA) também disse ter sido comunicado da desistência. No fim da tarde, a assessoria de imprensa do gabinete de Sarney divulgou uma nota, assinada pelo funcionário Cléber Barbosa, confirmando a decisão de não concorrer este ano.
“Essa decisão já estava tomada, comuniquei isso ao meu partido na semana passada. Entendo que é chegada a hora de parar um pouco com esse ritmo de vida pública que consumiu quase 60 anos de minha vida e afastou-me muito do convívio familiar”, disse o senador, segundo seu assessor.
“Para ele é muito bom, acho importante essa decisão. Cada vez que ele vai para lá (Amapá) é uma dificuldade”, afirmou ontem a governadora do Maranhão e filha do senador, Roseana Sarney. Segundo ela, a família o tem aconselhado a encerrar a vida pública. “Para mim, particularmente, está na hora”, afirmou ela.

Manchetes de hoje - 24/06/14




A Tarde: O campeão voltou!

Correio da Bahia: Que venha o Chile

Tribuna da Bahia: É botar fé e rezar

Folha de São Paulo: Brasil muda, goleia e pega Chile na primeira decisão

Estadão: Neymar decide e Brasil pega o Chile no Sábado

O Globo: Argentina pede mais tempo para negociar

Correio Braziliense: Com a bênção do Mané




Clique Aqui e veja os destaques de capa dos principais jornais, revistas, rádios e tevês do Brasil.